Home Biden 20 estados Norte Americanos processam administração Biden por causa do programa de liberdade condicional para imigrantes
Biden - EUA - Imigração - Local - Mundo - Novo Normal - Política - 2 semanas atrás

20 estados Norte Americanos processam administração Biden por causa do programa de liberdade condicional para imigrantes

Na opinião desses estados, o plano do governo federal deve ser declarado ilegal porque com ele os réus excederam sua autoridade para conceder esse tipo de visto e, além disso, não levaram em conta se há capacidade de expulsar beneficiários do programa uma vez que a permissão de dois anos para estar nos Estados Unidos se esgote.

JSNEWS – Os procuradores de 20 estados Norte Americanos, incluindo Flórida e Texas, entraram com uma ação nessa terça-feira,24, contra o programa do governo do presidente Joe Biden que concede 30.000 vistos humanitários a imigrantes de Cuba, Venezuela, Nicarágua e Haiti, quando estes imigrantes possuírem um patrocinador no país (alguém disposto a dar abrigo e comida), o programa foi implementado com o objetivo de aliviar as demandas por serviços públicos nas comunidades fronteiriças devido ao aumento, sem precedentes, do número de imigrantes que cruzam a fronteira sul ilegalmente.

Os estados que entraram na justiça contra a administração federal foram Texas, Flórida, Alabama, Alasca, Arkansas, Idaho, Iowa, Kansas, Kentucky, Louisiana, Mississippi, Missouri, Montana, Nebraska, Ohio, Carolina do Sul, Tennessee, Utah, Virgínia Ocidental e Wyoming.

POR QUE ELES ENTRARAM COM A AÇÃO?
Liderada pelo procurador-geral do Texas, Ken Paxton, os queixosos argumentam que tal plano possa ser um incentivo para que mais imigrantes cheguem à fronteira dos Estados Unidos que já estão “sobrecarregadas”.
Os estados queixosos enfatizaram que, com essa iniciativa, o Departamento de Segurança Interna (DHS) está abusando de sua autoridade ao conceder vistos humanitárias.

Os estados também argumentam que plano do governo federal deve ser declarado ilegal porque com ele, os réus, citados no processo, não só excederam sua autoridade ao conceder esse tipo de visto, além disso, não levaram em conta nesse plano qual seria a capacidade da administração pública para expulsar os beneficiários desse programa, uma vez que a permissão dada por dois anos para estar nos Estados Unidos, se esgote.

O processo é dirigido contra o DHS e seu diretor, Alejandro Mayorkas, bem como contra os órgãos federais responsáveis por garantir a segurança das fronteiras e regular o fluxo migratório. Os altos funcionários do Departamento de Segurança Interna, Imigração e Cidadania, Patrulha de Proteção de Fronteiras e aplicação da lei de imigração do ICE também estão sendo processados.

Leia também

Fóssil: embaixador da UE critica postura de Lula com Venezuela, Cuba e Nicarágua

O embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, criticou nesse domingo, 05, a po…