Home EUA Adolescente se declara culpado por massacre racista em supermercado em Búfalo, ao norte de Nova York

Adolescente se declara culpado por massacre racista em supermercado em Búfalo, ao norte de Nova York

Payton Gendron, de 19 anos, passará o resto de sua vida na prisão depois de admitir uma acusação de terrorismo doméstico motivado pelo ódio no episódio, que foi transmitido ao vivo.

AFP – O jovem supremacista branco acusado de realizar um massacre racista em maio, que resultou na morte de 10 pessoas negras em um supermercado em Búfalo, ao norte de Nova York, se declarou culpado nesta segunda-feira (28) perante a justiça estadual.

Payton Gendron, de 19 anos, passará o resto de sua vida na prisão depois de admitir uma acusação de terrorismo doméstico motivado pelo ódio no episódio, que foi transmitido ao vivo.

O promotor do distrito do condado de Erie, John Flynn, informou que Gendron se declarou culpado de todas as acusações, incluindo o homicídio em primeiro grau de 10 pessoas e três tentativas de homicídio.

Payton Gendron (
Mark Mulville/The Buffalo News via AP)

Após essa etapa judicial, Gendron, que tinha 18 anos no dia do atentado, deve pegar “prisão perpétua sem possibilidade de revisão quando for anunciada sua condenação em 15 de fevereiro de 2023”, disse o promotor em um comunicado.

No entanto, o adolescente ainda enfrentará acusações federais por crimes de ódio, o que pode levar à pena de morte.

O promotor afirmou que seus crimes “racistas” foram “alimentados pela ideologia supremacista branca direcionada deliberadamente contra pessoas negras”.

“Embora tenha sido feita justiça, nada trará de volta as 10 pessoas preciosas que perderam suas vidas naquele dia”, declarou Flynn à imprensa. “Esperamos que a conclusão legal leve certo alívio às famílias e às vítimas”, acrescentou.

Crime transmitido ao vivo
Gendron planejou por meses o ataque ao supermercado Tops Friendly, escolhido porque a população do bairro era majoritariamente negra, lembrou o promotor em uma coletiva de imprensa.

Ele dirigiu de sua casa, na pequena cidade de Conklin, a mais de 300 km de distância, com a intenção de matar o maior número possível de negros, de acordo com a acusação.

Armado com um fuzil AR-15, Gendron atirou contra quatro pessoas no estacionamento do mercado, das quais três morreram. Em seguida, entrou no estabelecimento e matou, entre outros, o vigia e um policial aposentado, que se defendeu disparando vários tiros antes de morrer, segundo a polícia.

No momento do ataque, Gendron usava um capacete com uma câmera e transmitiu tudo ao vivo pela plataforma Twitch.

Trata-se da primeira pessoa em Nova York condenada por terrorismo doméstico, uma figura jurídica introduzida no código penal em 2020, punida com a prisão perpétua sem liberdade condicional.

Após o massacre de Búfalo, o estado de Nova York aumentou a idade mínima necessária para a compra de armas semiautomáticas de 18 para 21 anos.

Segundo o portal Gun Violence Archive, já foram registrados este ano nos Estados Unidos mais de 600 ataques maciços com armas de fogo, que deixaram ao menos quatro vítimas mortas ou feridas.

Cerca de 49 mil pessoas perderam a vida por armas de fogo no país em 2021, em comparação com 45 mil em 2020, o recorde até então. São 130 mortes por dia, embora mais de metade sejam suicídios.

Leia também

Fóssil: embaixador da UE critica postura de Lula com Venezuela, Cuba e Nicarágua

O embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, criticou nesse domingo, 05, a po…