Home Biden Biden avalia reviver restrições de imigração da era Trump, dizem autoridades dos EUA
Biden - Imigração - Local - Mundo - Novo Normal - 12/03/2022

Biden avalia reviver restrições de imigração da era Trump, dizem autoridades dos EUA

Fontes do governo afirmaram que administração Biden está discutindo uma regulamentação acelerada para negar asilo a migrantes adultos solteiros se eles não buscarem proteção em outros países primeiro.

REUTERS – O governo do presidente norte-americano, Joe Biden, dificultará a solicitação de asilo na fronteira entre os Estados Unidos e o México sob vários planos que têm sido considerados semelhantes às políticas do ex-presidente Donald Trump.

Duas autoridades do Departamento de Segurança Interna dos EUA e uma pessoa familiarizada com o assunto disseram que a administração Biden está discutindo uma regulamentação acelerada para negar asilo a migrantes adultos solteiros se eles não buscarem proteção em outros países primeiro.

As fontes disseram que não viram uma cópia do regulamento proposto e, portanto, não podem fornecer mais detalhes.

Desde que Biden assumiu o cargo em janeiro de 2021, seu governo tem enfrentado dificuldades operacionais e políticas com um número recorde de migrantes que cruzam ilegalmente a fronteira entre os EUA e o México.

As autoridades fronteiriças norte-americanas realizaram 2,2 milhões de detenções de migrantes na fronteira durante o ano fiscal de 2022, encerrado em 30 de setembro, embora muitas delas incluíssem cruzamentos repetidos.

Outra autoridade dos EUA disse que a administração Biden tem discutido outros entraves da era Trump, que incluem exames de asilo acelerados para migrantes sob custódia da Patrulha de Fronteira. Uma possibilidade também sob consideração é aumentar a prática que limita o número de migrantes que podem se aproximar de um ponto de entrada para pedir asilo, disse essa autoridade.

Leia também

Fóssil: embaixador da UE critica postura de Lula com Venezuela, Cuba e Nicarágua

O embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, criticou nesse domingo, 05, a po…