Home Brasil Bolsonaro teve só 1 voto em Cuba: veja destaques da eleição em todos os continentes no primeiro turno
Brasil - Mundo - 10/03/2022

Bolsonaro teve só 1 voto em Cuba: veja destaques da eleição em todos os continentes no primeiro turno

Em números absolutos, Lula foi o vencedor do primeiro turno no exterior, com 47% dos votos válidos contra cerca de 41% do atual presidente.

Por: Luis Barrucho e Ricardo Senra, BBC – 

Em Cuba, um dos países mais citados no bangue-bangue eleitoral brasileiro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) teve apenas 1 voto, ou 3,23% do total, enquanto Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu com 28 votos, ou 90,32%.

Completam a modesta votação brasileira na ilha socialista Ciro Gomes (PDT), com 1 voto, e Luiz Felipe D’Avila (Novo), também com 1.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o ex-presidente petista foi o vencedor geral do primeiro turno entre os brasileiros que vivem no exterior.

Com 99,15% das urnas apuradas, Lula obteve 47,13% dos votos válidos lá fora, enquanto Bolsonaro, que busca a reeleição, 41,63%.

Em números absolutos, Lula teve mais de 137,6 mil votos no exterior, enquanto Bolsonaro, 121,6 mil.

Ciro Gomes foi o terceiro, com cerca de 13,2 mil votos e Simone Tebet (MDB), a quarta, com 13,05 mil.

Em Israel, cuja bandeira é uma das mais frequentes em manifestações de apoio ao presidente no Brasil, Bolsonaro ganhou com 45,98% em Tel Aviv, contra 39,37% para Lula.

Há 4 anos, no 1º turno, Bolsonaro alcançou 66,5% dos votos ali, enquanto Fernando Haddad teve só 6,8%.

De forma geral, o petista foi o preferido por brasileiros na Europa e Oceania. Bolsonaro venceu no Oriente Médio, EUA e Japão.

A disputa foi mais acirrada na América Latina, África e na Ásia.

Principais colégios eleitorais
No maior colégio eleitoral de brasileiros no exterior, Lisboa (Portugal), Lula venceu com 61,6% dos votos (contra 30,58% de Bolsonaro).

Em Miami (EUA), segundo maior colégio, Bolsonaro ganhou com 74,3%, contra 16,24% de Lula. Boston (EUA) abriga a terceira maior comunidade de eleitores brasileiros. Por lá, Bolsonaro teve 69,89% e Lula teve 23,04%.

Em Tóquio, no Japão, Bolsonaro ganhou com 66,94% dos votos. Em Nagoia, o atual presidente teve 75,47% dos votos. Em Hamamatsu, terceiro e últimos posto de votação no Japão, Lula teve apenas 11,59% dos votos, enquanto Bolsonaro ganhou 75,37%.

Na Itália, quarto país em número de brasileiros votando, Lula venceu com 50,18% dos votos em Milão e 54,76% em Roma.

Lula ganhou nos três locais de votação na Alemanha, quinto maior colégio eleitoral: em Berlim, teve 79,65% dos votos (contra 11,14% para Bolsonaro). Em Frankfurt, Lula teve 64%, ante 22,84%. E em Munique, o petista registrou 60,16% contra 24,73.

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), mais de 697 mil eleitores estavam aptos a votar no exterior neste ano – um aumento de 39,21% em relação a 2018.

Com 58,54%, mulheres são a maioria do eleitorado cadastrado no exterior. A maior parte dos eleitores brasileiros que vivem fora tem entre 35 e 44 anos. A votação estava prevista para ocorrer em 181 cidades em todo o mundo.

Europa
No continente europeu, Lula foi o mais votado em países como Portugal, Espanha, Holanda, França, Alemanha, Reino Unido e Irlanda.

A exceção foi a Grécia, onde Bolsonaro venceu com 46,9% dos votos.

Em Portugal, Lula teve 60,5% dos votos no Porto, 61,6% em Lisboa e 49,1% em Faro.

No Reino Unido, onde a votação foi realizada apenas em Londres, Lula ganhou com 55,18% dos votos contra 34,94% de Bolsonaro. Bolsonaro também venceu em Moçambique, com 51,55% dos votos contra 40,21% de Lula. Na República Democrática do Congo, Bolsonaro venceu com 82,35% dos votos.

Em Angola, Lula teve 52,54% dos votos contra 39,41% de Bolsonaro.

No Marrocos, Lula venceu com 64,5% dos votos. Na Costa do Marfim, o petista ganhou com 45,65% dos votos.

Na Tanzânia, Lula ganhou com 75% dos votos.

América Latina e Caribe
Entre os vizinhos latino-americanos, Lula ganhou na Argentina, Colômbia, Chile, Cuba, Jamaica, México e Nicarágua.

Já Bolsonaro venceu em Paraguai, Equador, Bolívia, Peru, Guiana, Suriname, Honduras, Rep Dominicana, Haiti, Bahamas e El Salvador.

Na Argentina, Lula ganhou com 64,68%. Já na Bolívia, terra de Evo Morales, aliado histórico de Lula, Bolsonaro ganhou em todas as cidades.

O petista venceu no Chile, com 44,86%, O resultado também foi positivo para Lula na Colômbia, com 52,82%.

No Equador, Bolsonaro teve vitória expressiva, com 60,31% dos votos contra 28,72% de Lula.

A disputa no México foi mais equilibrada, mas Lula venceu por 44,2% contra 42,84%.

Já no Paraguai, Bolsonaro teve 67,54% dos contos, contra 22,4 de Lula.

Ásia
Na Ásia, Bolsonaro ganhou no Japão, onde teve votação expressiva em todas as cidades japonesas aonde brasileiros foram votar.

Em Pequim, na China, Lula venceu por 63,16%. Já em Hong Kong, Bolsonaro ganhou por 48,31%, contra 30,9% de Lula.

Bolsonaro também teve mais votos nas Filipinas (55,56% contra 31,75%) e Indonésia (60% contra 32%), e venceu em Taiwan e Timor Leste.

Mas em outra grande economia do continente, Lula teve vitória expressiva na Índia, com 65,85% contra 29,27% de Bolsonaro em Nova Déli e 75% contra 16,67% em Mumbai.

O petista também ganhou em locais como Coreia do Sul (62,8% contra 25,6%), Malásia (47,37% contra 42,11%), Singapura (46,67% contra 24,87%), Tailândia (43,81% x Bolsonaro 40%) e Vietnã (65% contra 20% de Bolsonaro).

Oceania
Na Oceania, o petista foi o mais bem votado na Austrália e na Nova Zelândia.

Em Sydney, Lula teve 54,35% dos votos contra 29,42% de Bolsonaro. Na capital Canberra, Lula teve 56,01% e Bolsonaro teve 27,24%.

Na Nova Zelândia, Lula teve 72,95% e Bolsonaro teve 15,74%.

Oriente Médio
No Oriente Médio, Bolsonaro venceu nos Emirados Árabes Unidos, Omã, Catar, Kuwait e Israel.

Lula obteve mais votos no Líbano, Jordânia, Arabia Saudita e territórios palestinos.

EUA e Canadá
Na América do Norte, a votação foi dividida.

Como esperado, Bolsonaro ganhou nos Estados Unidos, com votação expressiva em Miami e Boston, mas teve menos votos que Lula em algumas cidades americanas: na capital Washington (45,33% contra 41,7%), Chicago (51,44% contra 33,69%), Los Angeles (45,53% contra 42,43%) e San Francisco (53,95% contra 33,35%).

Lula foi o mais bem votado no Canadá, com 60,73% dos votos em Montreal, 50,86% em Ottawa, 50,56% em Toronto e 55,29% em Vancouver.

Na Espanha, Lula venceu com 52,27% em Madri e 70,2% em Barcelona. Na França, o petista teve 77,23% dos votos.

Na Hungria, liderada pelo aliado de Bolsonaro Viktor Orbán, Lula teve 80,89% dos votos contra 11,86% de Bolsonaro.

Na Rússia, o petista teve 53,57% contra 33,33% de Lula. Não houve votação em Kiev, na Ucrânia.

África
Já em países africanos, o ex-presidente ganhou em mais países, incluindo Angola, Costa do Marfim, Gana, Guiné-Bissau, Quênia, Cabo Verde, Marrocos, Senegal, Egito e Tunísia.

Mas a votação de Bolsonaro foi expressiva no maior colégio eleitoral brasileiro no continente: Pretória, na África do Sul, com 63,7% dos votos.

– Esse texto foi publicado originalmente em https://www.bbc.com/portuguese/brasil-63093698.

Leia também

Brasil vence Suíça e garante vaga nas oitavas da Copa do Mundo

Da Redação – O Brasil venceu a Suíça por 1 a 0 e garantiu vaga nas oitavas de final …