Home Brasil Já são três brasileiros que morrem lutando na Ucrânia
Brasil - Internacional - Mundo - Novo Normal - 07/05/2022

Já são três brasileiros que morrem lutando na Ucrânia

Da Redação – Os brasileiros Douglas Búrigo, de 40 anos, e Thalita do Valle, de 39, que lutavam na guerra na Ucrânia como voluntários, morreram no último sábado (2), durante um ataque russo em Kharkiv, no norte do país.

Douglas morava em São José dos Ausentes, no Rio Grande do Sul, e estava na Ucrânia havia pouco mais de um mês. Thalita era advogada e participou como bombeira voluntária nos desastres de Brumadinho e Petrópolis. Os dois chegaram a servir o Exército brasileiro.
Segundo a família, Douglas foi para a Ucrânia em 22 de maio, com o objetivo de ajudar as vítimas do conflito com a Rússia. Douglas conversava com os pais quase todos os dias por mensagens no celular. O último contato com a mãe foi na terça-feira (28), quando o filho lhe disse que iria para o front e ficaria incomunicável por alguns dias, sem internet ou energia para carregar o celular.

Em um vídeo atribuído a um combatente checheno, aliado da Rússia, exibe bandeira que pertencia a André Hack, primeiro brasileiro morto aliado das tropas ucranianas

Douglas tinha uma borracharia em São José dos Ausentes. Ele também trabalhou como caminhoneiro e, anteriormente, em Uruguaiana, na Fronteira Oeste, serviu ao Exército, por cerca de quatro anos. Essa era a sua primeira guerra, segundo a irmã.

“Ele disse que queria ajudar as pessoas, queria se sentir e ser útil, ajudar as crianças lá que estavam sofrendo. A gente tentou convencer a não ir, mas ele estava decidido”, diz Denise Búrigo Dos Reis. “Ele foi, na verdade, para missão humanitária, não era para combate. Mas ele tinha conhecimento, por ter ficado alguns anos no Exército, e era muito inteligente. Acho que por isso que acabou na linha de frente”.

A família foi comunicada da morte por outros brasileiros que estavam com ele. O deputado estadual Carlos Búrigo (MDB), que é primo do gaúcho, também confirmou a informação. Familiares afirmam que aguarda informações oficiais do governo ucraniano para repassar ao Itamaraty.

De acordo com o portal UOL, outra brasileira, Thalita do Valle, morreu no mesmo bombardeio. Ela estava no mesmo grupo que Douglas, em um alojamento. Conforme informações de seu perfil no Linkedin, Thalita era advogada e integrante da comissão de direito dos refugiados da OAB de São Paulo.

Procurado, o Ministério das Relações Exteriores informou que está apurando informações sobre os casos.

Em junho, o Itamaraty havia confirmado a morte do brasileiro André Hack Bahi, 43 anos. Natural de Porto Alegre, o voluntário foi uma das vítimas dos pesados ataques russos à cidade de Severodonestk.

Leia também

Assassino que matou 4 pessoas e baleou 12 recebe sentença de até 3 anos

Da Redação – O atirador que invadiu duas escolas em Aracruz, Espírito Santo, vai cum…