Home Biden Médica dos EUA esta sob investigação após fazer aborto de menina de 10 anos que estuprada por um indocumentado
Biden - EUA - Local - Mundo - 07/14/2022

Médica dos EUA esta sob investigação após fazer aborto de menina de 10 anos que estuprada por um indocumentado

Da redação – Autoridades dos estado americano da Indiana estão investigando a ginecologista que realizou um aborto em uma menina de 10 anos que havia sido estuprada, supostamente por um imigrante indocumentado da Guatemala que foi detido pela policia. O caso chama a atenção da sociedade americana após a decisão da Suprema Corte dos EUA de anular o direito federal de interromper uma gravidez. No início do mês, a doutora Caitlin Bernard declarou para vários veículos de imprensa que recebeu a menina em Indianapolis após ser contactada por um colega de Ohio.

Uma lei que proíbe o aborto após a sexta semana, sem exceções para estupro ou incesto, entrou em vigor em Ohio no mês passado, depois que a Suprema Corte revogou a proteção constitucional para o direito de interromper uma gravidez.

 De acordo com o jornal americano Columbus Dispatch, o imigrante guatemalteco, Gerson Fuentes, 27, que “confessou ter estuprado a criança em pelo menos duas ocasiões”. A menina excedeu esse prazo e teve que ir para Indiana, onde os abortos são legais até 21 semanas de gravidez. 

Mas as autoridades estatais, em sua maioria republicanas, se opõem ao direito ao aborto e consideram proibi-lo.

O procurador-geral do estado, Todd Rokita, criticou Bernard na noite de quarta-feira, acusando-a de não relatar o caso da menina às autoridades, conforme exigido pela lei.

“Temos essa ativista a favor do aborto atuando como médica com histórico de não notificar” os casos em que é obrigada a fazê-lo, declarou Rokita ao canal Fox News.

“Então, estamos reunindo informações, provas e vamos lutar até o final”, acrescentou, além de ameaçar cassar sua “licença” profissional caso não denuncie.
O presidente democrata Joe Biden citou este trágico caso para denunciar a decisão da Suprema Corte.

“Dez anos! Estuprada, grávida de seis semanas, traumatizada e agora obrigada a ir para outro estado”, exclamou durante uma cerimônia na última sexta-feira.

Até que o suspeito fosse preso, a imprensa conservadora e várias autoridades de Ohio questionavam se a história era verdadeira.

Agora, opositores ao aborto acusam os defensores deste direito de “usar” a menina para promover sua causa e culpam a política migratória de Biden pela tragédia, uma vez que o agressor é um imigrante que entrou ilegalmente no país.

“Esta situação horrível foi causada por marxistas, socialistas e aqueles da Casa Branca que advogam por uma fronteira sem lei”, afirmou Rokita.

Leia também

Biden avalia reviver restrições de imigração da era Trump, dizem autoridades dos EUA

REUTERS – O governo do presidente norte-americano, Joe Biden, dificultará a solicita…