Cartaz indica show de Pablo Milanés em Miami. — Foto: Manuel Rueda / Reuters Página oficial de Pablo Milanés informa a morte do cantor cubano — Foto: Reprodução / Facebook / Pablo Milanés - Oficial
Home Celebridades Morre aos 79 anos o cantor cubano Pablo Milanés
Celebridades - Cultura - Internacional - Mundo - 7 dias atrás

Morre aos 79 anos o cantor cubano Pablo Milanés

Milanés estava internado em um hospital de Madri desde 12 de novembro, por 'infecções recorrentes', segundo sua assessoria.

Da Redação – O lendário cantor e compositor cubano Pablo Milanés, um dos fundadores e expoentes mais destacados da Nueva Trova cubana, morreu aos 79 anos na madrugada desta terça-feira (22), em Madri, na Espanha, onde vivia.

“É com grande dor e tristeza que lamentamos informar que o mestre Pablo Milanés faleceu nesta madrugada de 22 de novembro em Madrid. Agradecemos profundamente todo carinho e apoio, a todos os seus familiares e amigos, nestes momentos tão difíceis. Que descanse no amor e na paz que sempre transmitiu. Permanecerá eternamente na nossa memória”. informou a página oficial do artista no Facebook.
Milanés estava internado em um hospital de Madri desde 12 de novembro, por “infecções recorrentes”, segundo sua assessoria.

O cantor tinha um estado de saúde frágil e sofria, entre outras doenças, de um problema renal – recebeu um transplante de rim em 2014.
Nascido em Bayamo (leste de Cuba) em 1943, Pablo Milanés mudou-se com seus pais para Havana ainda criança, onde estudou música e adquiriu influências do gênero tradicional cubano.

Após participar de programas de televisão na década de 1950, começou a se destacar como cantor na década seguinte, marcada pelo início do sistema comunista imposto na ilha por Fidel Castro após o triunfo da Revolução Cubana em 1959.

No início da década de 1960, compôs algumas de suas primeiras canções, como “Tú, mi desengaño” e “Mi twentydos años”.

Apesar de se declarar revolucionário, foi “internado” aos 23 anos em uma Unidade Militar de Assistência à Produção (UMAP).

As UMAPs eram campos de concentração e trabalhos forçados para os quais o governo Fidel Castro enviou artistas, intelectuais, religiosos e homossexuais por supostamente se desviarem dos valores da revolução.

Milanés foi enviado para lá por expressar ideias discordantes com o partido no poder, como relatou posteriormente em entrevistas nas quais criticou o governo por não ter se desculpado por esse episódio.

Leia também

Brasil vence Suíça e garante vaga nas oitavas da Copa do Mundo

Da Redação – O Brasil venceu a Suíça por 1 a 0 e garantiu vaga nas oitavas de final …