Home Biden Prefeito de Nova York, Eric Adams, diz que a crise migratória é um “verdadeiro constrangimento nacional”
Biden - EUA - Imigração - Local - Mundo - Novo Normal - Política - 01/04/2023

Prefeito de Nova York, Eric Adams, diz que a crise migratória é um “verdadeiro constrangimento nacional”

A fronteira foi atingida por um número histórico de imigrantes sob a administração do presidente Biden, com mais de 2,3 milhões de encontros no ano fiscal de 2022 e um ano fiscal de 2023 até agora a caminho de superar esses números históricos.

JSNEWS – O prefeito de Nova York, Eric Adams (Dem.,), disse nessa terça-feira,03, que a crise migratória que, segundo ele, está sobrecarregando a cidade é um “verdadeiro constrangimento nacional”, ele também afirmou que “não há mais espaços nos abrigos” para receber mais imigrantes.

Adams foi questionado pelo apresentador Sid Rosenberg, do programa “Sid & Friends in the Morning”, da WABC sobre a crise migratória que atingiu a cidade de Nova York, já que dezenas de milhares de imigrantes foram enviados da fronteira para a cidade nos últimos meses.
“Acredito que seja um verdadeiro constrangimento ‘em nível nacional’, e devemos ter uma resposta apropriada. Temos tido conversas [com a administração federal] sobre as questões dos migrantes por décadas. Esta é uma questão nacional. Deve ter uma resposta nacional”, disse o prefeito. 

O apresentador argumentou que os problemas gerados pela crise migratória são de responsabilidade do governo Biden e do Partido democrata que, segundo Rosenberg, foi incapaz de aprovar uma reforma migratória mesmo tendo maioria no c0ngresso na legislação passada. “Esta é uma questão Biden, uma questão democrata com a qual agora pessoas como você têm que lidar. Para ser específico, isso é justo?“, perguntou o apresentador.

“Bem, quando pensamos na reforma da imigração, vamos precisar da ajuda do Congresso também”, respondeu Adams. “Acho que o presidente tem a obrigação de lidar com as preocupações imediatas. Mas quando falamos de imigração, vai ser preciso uma combinação do órgão executivo e do legislativo. Temos que resolver isso”, acrescentou.

A fronteira foi atingida por um número histórico de imigrantes sob a administração do presidente Biden, com mais de 2,3 milhões de encontros no ano fiscal de 2022 e um ano fiscal de 2023 até agora a caminho de superar esses números históricos.

(Foto: Patricio Espinoza/AP Photo)

A Casa Branca respondeu às críticas de suas políticas apontando para níveis recordes de financiamento para o Departamento de Segurança Interna, bem como operações de combate ao contrabando e das cooperações com outros países, e pediu aos republicanos que apoiem seus esforços para garantir financiamento extra e aprovem um projeto de lei abrangente de reforma da imigração que possa incluir um caminho para a cidadania a milhões de imigrantes ilegais.

“O que os americanos devem saber é que o presidente fez o trabalho para lidar com o que estamos vendo na fronteira desde o primeiro dia”, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, no mês passado.

Texas, Arizona e Flórida responderam à crise com seus próprios movimentos, incluindo o transporte de migrantes para cidades e jurisdições liberais notoriamente conhecidas como “cidades santuário para imigrantes” como é conhecida a cidade administrada pelo prefeito Eric Adams.

O governador do Texas, Greg Abbott, desafiou Adams ao transportar imigrantes que foram liberados nas cidades texanas pelo governo federal para NY a partir do segundo semestre de 2022.
Adams também disse na entrevista que o estado do Colorado enviou imigrantes para NY uma vez que aquele estado enfrenta desafios para abrigar esses imigrantes em Denver.

Adams enfatizou que um “despejo” repentino de imigrantes não era algo com o qual as cidades estão prontas a lidar – acrescentando que sua cidade havia recebido mais de 30.000 migrantes e que estava impactando “na qualidade de vida em Nova York”, ao que ele disse ser “injusto” que os governos locais tivessem que assumir o que ele chamou de “obrigação nacional”.

Leia também

Fóssil: embaixador da UE critica postura de Lula com Venezuela, Cuba e Nicarágua

O embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, criticou nesse domingo, 05, a po…