Home Biden Suposto agressor de Salman Rushdie teria se radicalizado durante viagem ao Oriente Médio em 2018
Biden - Mundo - Novo Normal - Policial - 08/15/2022

Suposto agressor de Salman Rushdie teria se radicalizado durante viagem ao Oriente Médio em 2018

JSNEWSSilvana Fardos, a mãe de Hadi Matar, 24, o homem que supostamente esfaqueou o escritor Salman Rushdie, afirma que seu filho teria se radicalizado durante uma viagem ao Oriente Médio em 2018.

Silvana condenou a atitude do filho e disse que uma viagem para visitar o pai no Líbano em  2018 mudou o filho, que segundo ela era um menino extrovertido e alegre, criado na sociedade americana, para um jovem introvertido e irritado que a criticou por não criá-lo para seguir o Islã.

Silvana se divorciou do pai de Hadi em 2004 e voltou para o Líbano.

Silvana Fardos, mãe de Hadi Matar, 24

“Na primeira hora que ele chegou lá, ele me ligou, e disse que queria voltar”, disse Silvana ao jornal Daily Mail. “Ele ficou aproximadamente 28 dias por lá, mas durante a viagem ele se sentiu muito sozinho”.

“Eu esperava que ele voltasse motivado para completar a escola, para conseguir seu diploma e um emprego. Mas em vez disso, ele se trancou no porão. Ele tinha mudado muito, ele não falou comigo ou com suas irmãs por meses”.

“Eu não poderia falar muito sobre a vida dele depois disso porque ele me isolou desde 2018. Se eu me aproximo dele às vezes ele dizia apenas ‘oi’, às vezes ele simplesmente me ignora e vai embora”, acrescentou. “Ele dorme durante o dia e acorda e come durante a noite. Ele mora no porão. Ele cozinha sua própria comida”.

No entanto, Silvana diz que ficou chocada ao saber que seu filho teria esfaqueado Rushdie, dizendo que não achava que ele era capaz de tal coisa. Hadi é acusado de esfaquear Rushdie no rosto, pescoço e corpo durante um evento no Instituto Chautauqua, em Nova York.

Rushdie tem sido alvo de uma fatwa* iraniana, ou recompensa, por décadas. O regime islâmico no Irã se ofendeu com o conteúdo de “Os Versos Satânicos” de Rushdie e pediu ataques ao autor e a qualquer outra pessoa associada à publicação do livro.

Rushdie viveu escondido por anos após a fatwa*, e várias pessoas responsáveis por traduzir seu livro sofreram ataques.

A polícia diz acreditar que o ataque de Hadi foi religiosamente motivado.

“Eu não empurrei meus filhos para a religião ou forcei nada ao meu filho”, disse Silvana. “Eu não conheço ninguém no Irã, toda a minha família está aqui. Estou vivendo uma vida simples como mãe solteira, tentando manter um teto sobre nossas cabeças e comida na mesa para meus filhos.”

Matar se declarou inocente das acusações de tentativa de homicídio e agressão no sábado.

Silvana tem outros dois filhos além de Hadi, um casal de gêmeos de 14 anos.


Uma fatwa, ou fátua, é um decreto verbal, um pronunciamento feito por um especialista em lei religiosa ligado à religião islâmica, um mufti. Em árabe, fatwa significa dar uma resposta satisfatória em relação a certo assunto. Sua emissão não é considerada uma tarefa fácil, mas árdua. Isso porque aquele que se compromete a emitir fatwas está agindo, dentre os islâmicos, “em nome do mensageiro de Allah e dos profetas.”

Leia também

Biden avalia reviver restrições de imigração da era Trump, dizem autoridades dos EUA

REUTERS – O governo do presidente norte-americano, Joe Biden, dificultará a solicita…