Home Biden Suprema Corte dos EUA autoriza fim do programa ‘Permaneça no México’

Suprema Corte dos EUA autoriza fim do programa ‘Permaneça no México’

A mais alta corte dos EUA não avaliou a política de imigração de Trump, oficialmente conhecida como Protocolos de Proteção do Migrante (MPP), mas a legalidade da decisão de Biden de encerrar o programa.

JSNEWS – A Suprema Corte dos Estados Unidos autorizou o presidente Joe Biden a abolir o programa Permanecer no México, uma política de imigração introduzida por seu antecessor, Donald Trump, que força os solicitantes de asilo a esperar nesse último país enquanto seus casos são analisados.

Em seu primeiro dia na Casa Branca, Biden tentou acabar com o programa, mas um juiz federal do Texas ordenou que ele fosse reintegrado. Com isso, o governo apelou para a Suprema Corte, que decidiu em seu favor, considerando que a decisão não viola a lei.

A mais alta corte dos EUA não avaliou a política de imigração de Trump, oficialmente conhecida como Protocolos de Proteção do Migrante (MPP), mas a legalidade da decisão de Biden de encerrar o programa.

Por um placar de cinco votos a favor e quatro contra, os juízes da Suprema Corte concluíram que o memorando emitido em outubro do ano passado pelo governo para encerrar o Permanecer no México não violou a lei federal de imigração.

Durante o governo de Trump, 70 mil pessoas foram enviadas ao México para aguardar o processo. Segundo a organização Human Rights First, mais de mil imigrantes sofreram abuso sexual, moral ou foram sequestrados durante seu tempo de espera no México.

As políticas de imigração do país são fonte de polêmica há anos e milhares tentam cruzar as fronteiras de forma ilegal. Na segunda-feira (27/6), autoridades de San Antonio, na fronteira dos EUA com o México, encontraram um caminhão abandonado com dezenas de pessoas mortas no baú do veículo.

Leia também

Senadora Kyrsten Sinema (Dem-AZ) deixará o Partido Democrata para se registrar como independente

JSNEWS – A senadora pelo estado do Arizona, Kyrsten Sinema (Democrata) disse, nessa …