Home Brasil Polícia Civil do Rio liberta juiz americano de cativeiro, prendem sequestradores e garotas de programa suspeitas de participarem do crime
Brasil - Policial - 07/13/2022

Polícia Civil do Rio liberta juiz americano de cativeiro, prendem sequestradores e garotas de programa suspeitas de participarem do crime

De acordo com as investigações, o turista tinha recebido no seu flat, em Copacabana, duas garotas de programa pela manhã e, na parte da tarde, elas retornaram ao local acompanhadas de dois homens que renderam ele e roubaram uma quantia em dinheiro no valor de R$ 8 mil. 

Da Redação – Além de três homens, a Polícia Civil também prendeu duas garotas de programa suspeitas de envolvimento no sequestro de um juiz americano, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Shayna Xavier Monteiro da Silva e Beatriz Freitas dos Santos tiveram as prisões decretadas pela Justiça.

Além de Shayna e Beatriz, presas na terça-feira (12), também constam no processo os nomes de Alef Israel dos Santos Araújo, Erivaldo Juvino Silva e outros dois autores não identificados.

O magistrado, que não teve o nome divulgado, foi libertado na segunda-feira (11) pelos agentes. Na mesma ação, Erivaldo, também conhecido como “Nem da Malvina”, um dos chefes de uma milícia que age na Zona Oeste do Rio, foi preso e autuado por extorsão com sequestro.

Exigência de R$ 200 mil
A polícia descobriu que, para soltar a vítima, os criminosos queriam R$ 200 mil como pagamento do resgate.

Durante a apuração, os investigadores verificaram que, no mesmo dia pela manhã, o juiz tinha recebido num flat em Copacabana duas garotas de programa.

Mais tarde, Shayna e Beatriz voltaram ao local com dois homens, que renderam o americano. Eles roubaram dinheiro do estrangeiro, mas notaram que poderiam exigir mais.

Os criminosos forçaram o magistrado a sair do flat e o levaram para um outro lugar, que não foi identificado pela polícia.

Horas depois, os agentes conseguiram fazer com que os bandidos voltassem para Copacabana. Foi quando eles prenderam um dos sequestradores e libertaram a vítima sem que os R$ 200 mil fossem pagos.

Participaram da força-tarefa policiais da Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat), da Delegacia Antissequestro (DAS) e da 24ª DP (Piedade).

Leia também

Assassino que matou 4 pessoas e baleou 12 recebe sentença de até 3 anos

Da Redação – O atirador que invadiu duas escolas em Aracruz, Espírito Santo, vai cum…