Home Comunidade SOS da vida – a vida aqui e agora
Comunidade - Local - Novo Normal - Saúde - 07/01/2022

SOS da vida – a vida aqui e agora

Por: Eliana Pereira Ignacio  – Olá meus caros leitores, hoje quero começar com uma frase de Fernando Pessoa, onde ele diz: “O homem é do tamanho do seu sonho”… A partir de frase quero afirmar que os sonhos se realizam somente no presente, não se realizam sonhos no passado ou futuro. Mas um fato interessante e ao mesmo tempo triste é que a maio ria das pessoas vive acorrentada ao passado, alimentando ilusões, projetando uma perspectiva de vida distorcida, insegura com o seu futuro, esquecendo-se de viver o hoje, o presente.

O passado, como o próprio nome diz, já passou, já se foi e não pode mais voltar. Pensar no que não pode mais voltar nos faz experimentar um sentimento de frustração, o que é prejudicial ao presente e consequentemente ao futuro. O que se aproveita do passado são as lições, os ensina mentos, as experiências e as boas lembranças.

De acordo com pesquisas torna-se possível afirmar que cerca de 70% da humanidade, passa o tempo vivendo do passado, com sentimentos, de culpa ou de nostalgia. E cerca de 25% da humanidade, passa o tempo vivendo o futuro, ou seja, um ano à frente, uma hora à frente, até um minuto à frente… Enfim, em algum lugar que não está sob o domínio, ou pelo menos ainda não. O futuro, portanto, não nos pertence, ele pertence à prospecção. Imaginar e projetar que no futuro estará de tal maneira. Viver o futuro gera dois tipos de sentimento: o primeiro é o sentimento de ansiedade, medo desse futuro.

Pessoas ansiosas vivem dizendo: “E se…”, ”eu não sou capaz”, “eu não vou conseguir”. O segundo sentimento, que pode tornar-se grave, é o devaneio, isto é, sonhar acordado. Se considerarmos como verídicos os dados de tais pesquisas, chega-se à conclusão de que apenas 5% da humanidade vive no presente. E como somente vive verdadeiramente quem vive o presente, então, poucos aproveitam para buscar e gozar seus sonhos; pois quem assim não faz está somente passando pela vida sem desfrutar dela.

Estamos vivendo uma realidade onde faz-se necessário aprender com o sábio Salomão que disse: “Tudo a seu tempo certo, para tudo há um momento”. Não é necessário atropelar as coisas. Há tempo para plantar, tempo para colher o que foi plantando, tempo para chorar, tempo para sorrir, tempo para esperar, planejar e também para executar. Mas o “Hoje” é o dia especial porque hoje é o único dia em que podemos viver e no qual podemos fazer toda a diferença. É neste dia que podemos intervir, decidir, alterar, transformar, crescer, mudar, enfim, tornar o mundo um lugar melhor para se viver.

Quem inicia a semana na esperança de que a sexta-feira esteja próxima, retorna das férias aguardado as próximas férias, inicia o seu trabalho pensando na aposentadoria ou inicia o seu dia aguardando o final do expediente, nunca chega a lugar algum porque está sempre saindo. Sai de casa para o trabalho. Sai do trabalho para casa. Sai do final de semana. Sai do feriado. Sai das férias. Sai, sempre sai, nunca chega. É também bem provável que saia da vida sem jamais ter vivido. A observação me leva pensar que a humanidade tem medo do presente.

E a pergunta que não quer calar: Por que ter tanto medo do presente? E a resposta tornar-se clara e simples; porque é no presente que se tem que pensar, falar, ouvir, planejar, sentir, agir. O presente é atitude. É no presente que se tem a parte concreta da vida, é no presente que as coisas acontecem. É no presente que se cria o passado e se constrói o caminho para o futuro.

O passado e o futuro são abstratos, estão presentes apenas nas mentes e nos corações. Cria-se expectativas e fantasias, e o momento presente é sempre novo, inesperado, e não se coaduna com essas fantasias. O ser humano quer fazer com que a situação externa se adapte às expectativas, ao invés de fazer o contrário: aceitar a situação externa, a realidade, como a verdade.

A maioria das pessoas não vive assim. Elas planejam o dia de amanhã, e quando o dia chega e as coisas não acontecem da maneira que querem, elas perdem o controle, se irritam e passam a culpar as pessoas e situações ao seu redor por não estarem alinhadas com as suas expectativas.

O ser humano tem a falsa impressão de controle sobre o passado e futuro, e passa a se sentir confortáveis em fugir corriqueiramente para os seus domínios, abandonando o tempo presente, onde a vida acontece. A verdade é que o presente passa em alta velocidade diante dos nossos olhos e o que vemos e sentimos no nosso dia-a-dia é um conjunto de emoções, visto tal como uma paisagem da janela de um trem em movimento A vida é um instante, um instante que deve ser aproveitado hoje.

Pense nisso! “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu.” Eclesiastes 3:


Eliana Pereira Ignacio é Psicóloga, formada pela PUC – Pontifícia Universidade Católica – com ênfase em Intervenções Psicossociais e Psicoterapêuticas no Campo da Saúde e na Área Jurídica; especializada em Dependência Química pela UNIFESP Escola Paulista de Medicina em São Paulo Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas, entre outras qualifi cações. Mora em Massachusetts e dá aula na Dardah University. Para interagir com Eliana envie um e-mail para epignacio_vo@hotmail.com ou info@jsnewsusa.com

Leia também

Biden avalia reviver restrições de imigração da era Trump, dizem autoridades dos EUA

REUTERS – O governo do presidente norte-americano, Joe Biden, dificultará a solicita…