Home Comunidade SOS da Vida – Falando de paz interior
Comunidade - Local - Saúde - 12/02/2022

SOS da Vida – Falando de paz interior

Eliana Pereira Ignacio – Olá, meus caros leitores, conforme combinado hoje venho trazer a segunda parte do tema Paz interior. Obviamente existem alguns obstáculos que impedem de alcançar paz interior e faz -se necessário identificar para poder desenvolver algum tipo de estratégia para removê-los.

Os obstáculos não serão removidos simplesmente por pensarmos que precisamos removê-los; temos que estabelecer algumas etapas para termos êxito. Então, como removemos esses obstáculos para que possamos alcançar o que for possível de paz interior? Hoje vou deixar uma dica.

A primeira etapa é identificar os obstáculos. Ter consciência deles, porque se não puder identificá-los não poderá removê-los. A segunda etapa é aceitá-los como obstáculos dentro de si mesmo. Por exemplo, a raiva é um dos maiores obstáculos à paz interior.

Se uma pessoa está com raiva, perturbada e perdeu a paciência, como ele ou ela pode ter paz interior nessa circunstância? Não é possível. Então essa pessoa precisa reconhecer que a raiva é um obstáculo à paz interior.

Se olhar para os obstáculos na vida poderá colocá-los sob uma variedade de tópicos: problemas pessoais, questões familiares, dilemas financeiros, pressões do trabalho e confusão espiritual. E existem muitos temas sob esses tópicos.

Muitos têm problemas, obstáculos que são como doenças. Se tentar lidar com eles um a um nunca terminam. Precisa identificá-los, colocá-los em algum tipo de categoria geral e atacá-los como um grupo ao invés de tentar atacar cada obstáculo e problema individual. Para fazer isso deve primeiro remover os obstáculos que estão além de seu controle.

Ter que ser capaz de distinguir quais obstáculos que estão dentro de seu controle e quais os que estão além de seu controle. Embora perceba aqueles que estão além de seu controle como obstáculos, na realidade eles não são. São as coisas que Deus nos destinou em nossas vidas, não são realmente obstáculos, mas os interpreta de forma errada como obstáculos.

Todas são coisas que estão além de nosso controle. Então podemos não gostar dos obstáculos que estão além do nosso controle e podemos até tentar mudá-los. Paz interior só pode ser alcançada se os obstáculos que estão além de nosso controle forem aceitos por nós pacientemente como parte do destino de Deus.

Saiba que o que quer que aconteça que não tivemos ou não temos controle, então Deus colocou nisso algum bem, sejamos ou não capazes de captar esse bem; o bem continua lá. Então aceitamos! Em suma a paz interior é a calma, a paz nos facilita o aprendizado e o demonstrar disso, como estado de calma que é para atingir objetivos. Silenciar os pensamentos é conseguir conectar-se a si próprio. Da paz interior é que vem a nossa capacidade de nos ater ao presente e sonharmos, realizarmos nossos planos.

Sem paz, não conseguimos agir propriamente em nossas funções ou desenvolver o nosso pleno potencial. As afirmações positivas quanto à paz, como uma simples “calma” num momento de dificuldade, podem auxiliar-nos a gerir melhor nosso dia a dia.

Quem acredita na paz e faz dela a sua filosofia mais dificilmente se entrega a ações intempestivas, brigas, discussões, ou até mesmo a competições contraproducentes. Acreditar na paz auxilia a desenvolver estágios mentais mais abrangentes, saindo do desprezo, da baixa autoestima, guiando-nos no sentido da saúde emocional. A paz interior vem de assumir e respeitar escolhas

A busca da paz interior nos faz ver que somos responsáveis por nossas escolhas, somos responsáveis em grande parte pelo nosso momento, pelo cuidado que nos damos, pela maturidade emocional que devemos buscar.

Ter paz não é decorar uma cartilha e repeti-la todos os dias, é compreender o que é vivenciado. Para ter paz interior, não tente controlar tudo. Essa obrigação muitas das vezes sequer existe, o que existe é o contrário: a necessidade de respeitarmos a escolha do próximo.

Quando tentamos interferir na escolha do próximo podemos ir pelo caminho do controle, uma via certa para o adoecimento pessoal e coletivo. Podemos estar certos de que muito na vida não pode ser mudado e não é da nossa alçada.

O imponderável reside em cada fração de segundo e aceitar isso é aceitar sermos parte da Natureza. Assim é que começamos a perceber não sermos donos da vida ou da morte de ninguém.

Controlar e se deixar ser controlado certamente não leva à paz. “Eu disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão afl ições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”. João 16:33

Até a próxima semana!!


Eliana Pereira Ignacio é psicóloga, formada pela PUC – Pontifícia Universidade Católica – com ênfase em Intervenções Psicossociais e Psicoterapêuticas no Campo da Saúde e na Área Jurídica; especializada em Dependência Química pela UNIFESP Escola Paulista de Medicina em São Paulo Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas, entre outras qualifi cações. Mora em Massachusetts e dá aula na Dardah University. Para interagir com Eliana envie um e-mail para epignacio_vo@hotmail.com ou info@jornaldossportsusa.com

Leia também

Fóssil: embaixador da UE critica postura de Lula com Venezuela, Cuba e Nicarágua

O embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, criticou nesse domingo, 05, a po…