Home Biden Suprema Corte dos USA decide a favor do treinador que orava publicamente após partida de futebol
Biden - Esportes - Religião - 06/27/2022

Suprema Corte dos USA decide a favor do treinador que orava publicamente após partida de futebol

JSNEWS – A Suprema Corte dos Estados Unidos, em mais um movimento em direção ao conservadorismo, decidiu nessa segunda-feira,27,  a favor de um treinador de futebol do estado de Washington que se ajoelhava e fazia uma oração no campo após o jogo.

O tribunal decidiu 6-3, mantendo uma visão ideológica, a oração do ex-treinador de futebol Joe Kennedy estava protegida sob a Primeira Emenda.

“A Constituição e o melhor de nossas tradições aconselham respeito mútuo e tolerância, não a censura e a supressão para visões religiosas e não religiosas”, escreveu o juiz Neil Gorsuch na opinião majoritária.

Kennedy foi colocado de licença em 2016 depois que ele continuou a orar no meio-campo depois que a Bremerton School District, em Washington, o advertiu ele poderia responder um processo legal movido pelo distrito escolar.

Foi-lhe dito que suas orações não poderiam ser conduzidas ao lado dos alunos, e que qualquer uma de suas observâncias religiosas pessoais precisava ser feita de tal forma que não pudessem ser vistas por outras pessoas ou serem percebidas como um encorajamento a religiosidade.

Kennedy começou a orar sozinho em 2008, eventualmente permitindo que os alunos se juntassem a ele que, eventualmente conduzia orações no vestiário da equipe.

Depois que o distrito escolar o disse para o treinador para de orar em 2015, Kennedy disse que ele ainda orou sozinho, mas em publico dentro do campo. Ele então foi colocado em licença em 2016, e seu contrato não foi renovado.

O caso do treinador tornou-se uma causa celebre dos religiosos e conservadores.

A questão era se a oração de Kennedy era uma observância pessoal ou um apoio formal uma religião especifica.

Os advogados do distrito argumentaram que não tinham problemas em deixar o treinador orar com seus alunos após a partida, mas deixá-lo orar dentro do campo imediatamente após um jogo e na frente da comunidade escolar, poderia ser visto como um endosso do governo à religiosidade.

A decisão dessa segunda-feira é a mais recente de várias do tribunal em favor dos demandantes religiosos. O tribunal decidiu na semana passada que o estado do Maine não pode excluir escolas religiosas de um programa público que oferece ajuda escolar a alunos de escolas privadas, um movimento que facilitará que as instituições religiosas recebam dinheiro dos contribuintes.

Leia também

Biden avalia reviver restrições de imigração da era Trump, dizem autoridades dos EUA

REUTERS – O governo do presidente norte-americano, Joe Biden, dificultará a solicita…