Home Local Parte III Vencendo a si próprio – Superando-se
Local - Saúde - 03/25/2022

Parte III Vencendo a si próprio – Superando-se

Eliana Pereira Ignacio – Olá, meus caros leitores, dando sequência a mini série sobre como vencer a si mesmo, superar-se. Hoje venho apresentar-lhes uma condição primordial neste processo é deixar de queixar-se por tudo e por nada, todos nós reclamamos ou acabamos por nos queixar de algumas coisas.

Na forma mais apurada de reclamar está a defesa dos nossos direitos. Defender os nossos direitos, implica sempre fazer passar a mensagem de desagrado com algo que não está como pretendemos e do qual temos direito. E isso é vantajoso e até assertivo. No entanto, “reclamar” tornou-se um padrão de olhar o mundo e com isso; desenvolveu-se uma sensibilidade extrema para olhar para o lado negativo da vida, criando uma forma estreita de ver o mundo, daí a probabilidade de nos transformarmos em criadores de problemas.

Se você se identificou com este padrão de análise das situações que enfrenta na sua vida, é importante ponderar até que ponto isso pode estar diminuindo o seu humor, a aumentando sua irritabilidade, bem como sua arrogância e o desdém. Quando se reclama por tudo e por nada, limita-se o espaço mental para apreciar as coisas boas da vida. Fazemos disparar constantemente o nosso detetor de erros e o nosso corpo reage criando um estado de ser reticente e defensivo ficando sempre em alerta.

Ao criarmos um estado recorrente de alerta e padronizado na análise constante do que pode não estar como desejamos, dispara a reclamação. A reclamação pode ser cortante ao ponto de inibir a responsabilidade da pessoa e promover a mentalidade de vítima. Tudo é culpa de alguém. Tudo podia estar melhor. Tudo devia estar de acordo com a nossa forma de pensar e de fazer as coisas.

Certamente esse cenário não é passível de acontecer, e consequentemente o resultado é a percepção de uma discrepância entre aquilo que se desejava ver e aquilo que na realidade se vê. Essa discrepância é avaliada como um erro que a pessoa sente como prejudicial para si, e em reação a isso reclama. A reclamação por tudo e por nada é uma forma de autos sabotagem.

A pessoa limita-se a atribuir a responsabilidade daquilo que percebe como estando errado, aos outros, às coisas e às situações. Distorce a realidade do que está a acontecer e perde a oportunidade de debruçar-se sobre uma forma de abordagem alternativa que pudesse ponderar uma solução que dependesse dela. O nosso cérebro trabalha de forma coerente, o nosso cérebro envia informações para o corpo e recebe informações do corpo. Cérebro e corpo influenciam-se reciprocamente numa tentativa de materializar o que os pensamentos, imagens e diálogo interno criam. Pensamentos, palavras e imagens são os veículos de programação de nós mesmos.

São as ferramentas que permitem orientar um conjunto de atividades internas; isto é atividades alojadas nos subconscientes e atividades externas; um conjunto de comportamentos e ações conscientes, os quais facilitam ou dificultam a obtenção dos nossos objetivos.

Mas se um dos seus objetivos é melhorar-se e/ou ultrapassar algumas dificuldades e obstáculos na sua vida, é importante que a criação de pensa mentos, imagens e palavras possam facilitar a sua melhoria e superação. Para nos melhorarmos ou para melhorarmos uma situação que necessita da nossa atenção e é prioritária na nossa vida, a chave é saber olhar para nós e ter consciência do que ativar para que possamos funcionar da melhor forma possível.

E este processo é promovido através da aplicação coerente entre o pensamentos positivo, o uso de palavras ter afirmações positivas e construtivas com visualização e imagética, ter imagens positivas e orientadas para a criação de soluções.

Sempre que o seu diálogo interno for criticamente negativo, que as suas imagens construam cenários catastróficos de fracasso ou medos irracionais, sempre que perceba que está a ativar a sua lista oficial de desculpas que o mandam abaixo e lhe retiram capacidade e ânimo, reoriente o seu foco atencional para uma perspectiva construtiva.

Identifique os gatilhos, lembram-se as situações, estados de humor, medos, incertezas, entre outros, que fazem disparar a sua negatividade e oriente a sua atenção para uma abordagem positiva. Assim irá conseguir mudar os pensamentos negativos para pensamentos positivos, implementando assim pensamentos positivos em sua vida.

A construção de uma estrutura mental positiva é promotora do ótimo funcionamento humano. Somos capazes de nos elevar, tendo a noção que elevação é a capacidade de conduzir-nos e puxar por nós mesmos.

Nós podemos desenvolver a noção de conseguir vir a ser mais do que aquilo que somos, aplicando a vontade de elevar-se a si mesmo. “Façam tudo sem queixas nem discussões” Filipenses 2:14

Até a próxima semana!!

Eliana Pereira Ignacio é Psicóloga, formada pela PUC – Pontifícia Universidade Católica – com ênfase em Intervenções Psicossociais e Psicoterapêuticas no Campo da Saúde e na Área Jurídica; especializada em dependência Química pela UNIFESP Escola Paulista de Medicina em São Paulo Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas, entre outras qualifi cações. Mora em Massachusetts e dá aula na Dardah University.
Para interagir com Eliana envie um e-mail para epignacio_vo@hotmail.com ou info@jsnewsusa.com

Leia também

Presidente do Peru tenta golpe de Estado e é preso

BBC NEWS BRASIL – Tudo aconteceu depois que Castillo fez o anúncio inesperado –…